Shrimp on the barbie

Fiz de novo o espetinho de camarão que tinha dado a receita aqui. É das receitas mais tradicionais aqui da Austrália, tanto que rendeu aquele comercial do Tourism Australia com o Crocodile Dundee, que eu também já falei aqui.

Essa campanha é meio motivo de chacota geral por aqui. O principal motivo não é o tanto de estereótipos do comercial (o sotaque, os locais, as gírias) mas sim porque ninguém aqui chama camarão de shrimp. Camarão aqui é prawn…

Então, no meu churrasquinho dessa semana eu mudei umas duas coisas da receita anterior: inclui shoyo no molho que deixei os camarões marinando e troquei a cerveja por um vinho. Da Nova Zelândia. Tava bom…

Anúncios

Camembert Assado e Risoto de Linguiça

 

Fiz um jantar na semana passada pra uma das pessoas que mora comigo. Dois pratos simples e deliciosos.

A entrada foi um camembert assado. Mais uma receita tradicional francesa.

Você vai precisar de um queijo camembert desses redondos, pequenos (cerca de 200 g), um galho de alecrim, um dente de alho, sal, pimenta do reino e azeite. E uma dessas assadeiras pequenas, chamadas de cocota.

Tire a casca da parte de cima do queijo (sabe aquela parte um pouco mais dura, esbranquiçada? Pois é.) e o coloque na assadeira. Pique o ano e espete na parte mole, o interior do queijo. Coloque o alecrim, tempere com sal, pimenta e azeite e leve ao forno por cerca de meia hora, ou até o queijo derreter. Sirva com pedaços de pão, que você também pode colocar no forno para esquentar….

 

O risoto também é simples. Aliás, risoto é das coisas mais simples na cozinha. O segredo? Fogo alto e não parar de mexer…

Os ingredientes:

  • arroz arbóreo
  • cebola
  • caldo de carne
  • manteiga
  • queijo ralado
  • linguiça
  • sal
  • pimenta
  • azeite
  • vinho branco

Ah, mas você não falou a quantidade…

Não, e nem precisa. Você sabe mais ou menos quanto cada pessoa come, não sabe? Então não precisa de um quilo de arroz se você estiver cozinhando para 2 pessoas (nem pra 4, nem pra 6…). Pensa assim: cada pessoa vai comer, se muito, 100 gramas de arroz (cru), um quarto de uma cebola pequena, umas 100 gramas de linguiça… Sacou?

 

Então, como juntar isso tudo e fazer virar um risoto:

  1. Pique a cebola em cubinhos, o menor que conseguir.
  2. Pique a linguiça em cubos.
  3. Esquente o azeite e frite a linguiça. Retire a linguiça da panela e reserve.
  4. Coloque a cebola e frite até ela ficar transparente.
  5. Coloque o arroz e frite um pouco, mexendo sempre
  6. Coloque uma taça de vinho branco e continue mexendo até evaporar (você pode colocar outra taça pra você e ir bebendo enquanto mexe o arroz…)
  7. Quando o vinho evaporar, coloque um copo de caldo de carne (se você estiver usando desses de cubo, primeiro saiba que isso é um veneno pra sua saúde. Melhor são os que já são diluídos, em líquido, ou os que você mesmo faz. Mas enfim… Se estiver usando os de cubo, derreta-os antes na agua quente) e mexa até a água secar
  8. Vai repetindo o processo: coloque mais caldo de carne, continue mexendo até secar. Você vai precisar fazer isso pelo menos umas 5 vezes, talvez mais. Você vai saber o ponto quando o arroz mudar de consistência. Experimente-o. Veja se está no ponto que você gosta. Mas cuidado para não deixar muita água na panela: você quer um risoto, e não uma sopa de arroz…
  9. Desligue o fogo, coloque a linguiça, uns dois bons nacos de manteiga sem sal gelada, queijo ralado e cheque o tempero: se for preciso coloque mais sal e pimenta. Misture tudo muito bem, tampe a panela e deixe descansar por uns 5 minutos (o tempo é necessário pra derreter completamente o queijo e manteiga e deixar o risoto cremoso).

 

Pronto, agora é só servir. Bom apetite.

 

Um frango, um peixe

Eu falei que iria publicar a receita de tudo que eu cozinhasse esse ano. É melhor eu manter minha palavra.

Como o final de ano foi um bicudo no balde gastronômico e etílico – muita comida, muita bebida – resolvi pegar leve nesse resto de janeiro.

Ontem fiz um frango que de tão simples nem tirei foto. Um peito de frango cortado em tiras, que misturei com sal, pimenta do reino, chili cortado em tiras finas e canela e fritei no azeite. Só isso. Eu adoro frango temperado com canela. Quem ainda não experimentou, vale a dica.

Hoje foi a vez de fazer um peixe também super simples, mas que tem um nome pomposo: Sole Meunière, um dos clássicos da culinária francesa. Pra quem acha que a cozinha deles é sempre complicada, esse peixe é um bom início.

Sobre o peixe: compre em filé ou o peixe inteiro e retire você mesmos os filés, se tiver confiança. Ccomo estou na Austrália, eu usei um peixe chamado king dory, um peixe achatado – dois filés de cada lado – que é comum nos mares daqui. Não é caro, tem uma carne branca firme e vai bem com os outros ingredientes. No Brasil você pode usar a merluza, por exemplo.

Anote a receita e o restante dos ingredientes (para duas pessoas):

 

  • Dois filés de peixe
  • 1/4 de xícara de farinha de trigo
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 3 colheres de sopa de manteiga sem sal
  • meio limão
  • 1 colher de sopa de salsinha

Pra fazer é só:

  1. Misture o sal, a pimenta e a farinha e passe nos dois lados do peixe
  2. Em uma frigideira antiaderente (ou, com uma folha de papel manteiga em uma frigideira comum, como eu fiz) esquente um das colheres de manteiga.
  3. Frite o peixe dos dois lados por uns 2 ou 3 minutos – retire quando estiver quase no ponto.
  4. Reserve os filés em um prato coberto com papel alumínio para manter a temperatura (como o peixe ainda está quente, ele vai continuar cozinhando – por isso você precisa retirá-lo antes dele chegar ao ponto certo)
  5. Na frigideira ainda quente misture o resto da manteiga, esprema o limão e jogue a salsinha. Espere a manteiga derreter e queimar um pouco, desligue o fogo  e jogue o molho sobre os filés. Sirva imediatamente.

Eu comi o meu com uma salada verde de rúcula e espinafre, temperada com sal, pimenta, azeite e aceto balsâmico.

Não demorou 15 minutos e olha, estava bom, viu? Tenta e me conta.

 

05.jan Filé de peixe com amêndoas, batata assada e salada de tomate com cebola roxa

Já deu pra perceber como é a organização de cozinha? Compra um ingrediente que está com bom preço na semana e repete esse produto em diferentes pratos. A batata, por exemplo, foi usada primeiro no frango e agora aqui no peixe.

Por ser formado por três pratos distintos (o peixe, a salada de tomates e a batata) esse prato requer um pouco mais de atenção que os anteriores. Mas nem tanta assim: como os outros é simples, rápido e fácil. A dica aqui é a organização e o mis-en-place: deixar tudo já picado e separado quando começar a cozinhar.

IMG_5165

ingredientes (para duas pessoas)

  • dois filés de peixe com pele, com cerca de 150 g cada
  • uma xícara de amêndoas picadas
  • 8 tomates cereja
  • meia cebola roxa
  • 8 batatas pequenas
  • ervas frescas (alecrim, cebolinha, tomilho, coentro)
  • sal
  • pimenta do reino
  • limão
  • azeite
  • manteiga sem sal

Como fazer:

Comece pela salada de tomates:

  1. pique os tomates cereja em rodelas pequenas e coloque em uma vasilha
  2. Pique e junte a cebola em fatias finas (ou rale, se preferir)
  3. Coloque algumas folhas de coentro e cebolinha picada
  4. Adicione sal, pimenta, azeite e o suco de meio limão
  5. Tampe e reserve na geladeira.

Pra fazer a batata:

  1. Pré-aqueça o forno.
  2. Corte as batatas em rodelas.
  3. Em uma frigideira com cabo de metal coloque azeite e aqueça.
  4. Frite as batatas até que dourem de cada lado.
  5. Adicione as ervas restantes (tomilho, alecrim) e leve ao forno por 10 minutos.

Hora de fazer o peixe:

  1. Aqueça uma frigideira anti-aderente e coloque o azeite.
  2. Tempere os filés de peixe dos dois lados com sal e pimenta do reino.
  3. Coloque na frigideira, primeiro com o lado da pele. Frite até notar que a pele está crocante e vire. Frite do outro lado por mais alguns minutos. Retire e reserve.
  4. Na frigideira, coloque um pedaço de manteiga e as amêndoas. Frite por alguns minutos.

Pra montar o prato, coloque primeiro a salada de tomates, depois as batatas, o peixe com a pele voltada pra cima e as amêndoas por cima. Jogue azeite e sirva com pedaços de limão.

03.jan Coxa desossada de frango com batatas e bacon

 

 

 

 

 

 

Resolvi deixar os frutos do mar de lado e retomar um ingrediente menos “estranho” para um cozinheiro mineiro: o frango. Misturei ideia de umas receitas daqui e outras daí e deu essa coxa desossada com batatas. É fácil e relativamente rápido.

photo (2)

Ingredientes (para 3 pessoas)

  1. 500 gramas de batatas pequenas
  2. ervas frescas à sua escolha (eu usei alecrim e tomilho, mas orégano também cai bem)
  3. 2 tomates
  4. 1 limão
  5. 1 cabeça de alho
  6. 600 gramas de coxa de frango desossado (você pode pedir seu açougueiro pra fazer isso por você se não quiser se aventurar. Mas não tem muito erro não)
  7. 200 gramas de bacon
  8. sal
  9. pimenta
  10. azeite

Preparo

  • Pré-aqueça o forno.
  • Corte as batatas ao meio e coloque numa assadeira grande.
  • Espalhe por cima as ervas, sal, pimenta do reino, azeite e metade do limão.
  • Pique os tomates em 4 e coloque junto.
  • Corte a cabeça de alho ao meio e também coloque junto às batatas.
  • Pique o bacon em tiras finas ou cubos e também jogue na assadeira.
  • Misture tudo e leve ao forno por uns 20 minutos.
  • Tempere as coxas com sal e pimenta.
  • Esquente uma frigideira com azeite e frite o frango, lado com pele primeiro.
  • Depois de alguns minutos, vire e frite o outro lado.
  • Quando o frango estiver quase ao ponto, tire da frigideira, coloque na assadeira junto às batatas e asse por mais 10 minutos.
  • Bom apetite.

 

01.jan Spaguetti ai frutti di mari

Não vou prometer que vou cozinhar todos os dias do ano em 2014. Sei que vai ser impossível. Mas vou publicar todas as receitas que fizer. Fica o trato.

O ano começou com este espaguete ao frutos do mar.

photo

Ingredientes (para 4 pessoas):

  1. 500 g de espaguete seco (calcule em torno de 100 gramas de massa seca por pessoa. Ou seja: um pacote de 500 g é mais que suficiente para 4 pessoas).
  2. 16 camarões grandes
  3. 400 g de frutos do mar variados (eu usei uma mistura de marinados que compro no supermercado, com vongole, camarões menores, polvo e lula)
  4. 4 tomates (ou 2 colheres de molho de tomate, se preferir)
  5. 4 dentes de alho
  6. 1 taça de vinho branco
  7. sal
  8. pimenta do reino
  9. 1 colher de manteiga
  10. azeite
  11. folhas de coentro (ou salvinha)

Preparo:

  • Limpe os camarões: retire a casca mas deixe a cabeça e o rabo intacto.
  • Aqueça uma panela grande com água e cozinhe o macarrão de acordo com o tempo sugerido na embalagem.
  • Enquanto isso, numa frigideira grande esquente a manteiga e o azeite.
  • Doure o alho picado por 1 minuto.
  • Acrescente os camarões e doure por um minuto cada lado.
  • Coloque o vinho branco, os outros frutos do mar, os tomates pecados. Tampe e cozinhe mais um pouco. Cheque o sal e a pimenta.
  • Quando o macarrão estiver pronto escorra e coloque nos pratos. Adicione os frutos do mar por cima.
  • Sirva com o coentro.

Camarão grelhado

Hoje acordei com uma ideia simples: ir ao supermercado, direto pra a seção de revistas, pegar uma de culinária, abrir em uma página qualquer e aquele seria o meu almoço. Sem trapaças: se a receita fosse um peru de Ação de Graças eu teria que comprar ali mesmo os ingredientes e preparar meu almoço. Escolhi uma revista com o Jamie Oliver na capa – nem lembro qual era – e abri. Caiu em uma matéria sobre pratos saudáveis, algo como “o novo triângulo alimentar”. E a receita era a de um camarão grelhado, “com baixo teor de sal”, segundo a revista.

 

Confesso que não sou muito fã de frutos do mar. Não que eu não goste: gosto bem, mas entre a delicadeza de um peixe e a intensidade de uma carne vermelha eu prefiro a segunda. Minha preferência por coisas com sabor forte e intenso é explícita: gosto dos queijos mofados, de vinhos tintos com taninos marcados, de café espresso sem açúcar. Das coisas do mar gosto bastante de ostras, por exemplo. Camarão é algo que como, até gosto, mas não morro de amores como muita gente que conheço.

Um parêntesis: a Austrália, com seus 66 mil km de costa marítima – o dobro do tamanho da costa brasileira – tem uma cozinha fortemente influenciada por frutos do mar. Peixes, camarões, lulas, ostras, escalopes e outros bichos estão sempre presentes no prato dos australianos.

A receita

A receita era simples, fácil, rápida. Do jeito que gosto. Ainda mais em um dia que isso era tudo o que eu precisava (a semana foi pauleira). Dei uma lida rápida na página e adaptei ao meu jeito. Os ingredientes eram os mesmos (ou quase: como não comprei a revista, talvez tenha esquecido ou trocado algum).

O que usei:

  • 300 gramas de camarões (usei o que na Austrália é conhecido como Camarão Banana, grandes: foram só 13 camarões inteiros)
  • 1 limão siciliano
  • água de coco (não tinha isso na receita original, mas tinha comprado uma – 7 reais a garrafinha de 300 ml! –   e achei que poderia combinar com o prato)
  • 2 dentes de alho
  • 2 ramos de coentro picados
  • sal
  • pimenta do reino
  • azeite

Eu queria ter usado um chili que estava na geladeira, mas acabei esquecendo…

O preparo não tem mais simples: misture tudo. Use raspas e suco do limão, 2 colheres de água de coco, 2 colheres de azeite, os dentes de alho amassados e picados, apenas um dos ramos de coentro picados, sal e pimenta a gosto. Não limpe ou lave os camarões: deixe os bichos inteiros, com cabeça e tudo mais, marinando na mistura por pelo menos meia hora.

 

Depois é só grelhar. Ou fritar. Ou colocar na churrasqueira como fazem os australianos.  A outra metade do coentro eu usei pra decorar.

 

Na hora de comer eu apenas tirava a cabeça dos menores. Os maiores, como esse aí acima, eu descascava. Não precisou de nenhum acompanhamento, só o chardonnay que tinha na geladeira…

 

(A trilha sonora do camarão foi o disco Madman Across the Water, do Elton John, de 1971. Por causa, claro, de Tiny Dancer, essa pérola.)