Pacific Crest Trail S01E30

A trilha da trilha: Offspring – Cruising California

Sempre me perguntam se a trilha que estou fazendo é a do filme Livre, baseado no livro de Cheryl Strayed de mesmo nome (Wild, no original). É, mas tudo o que tinha feito até hoje ela não fez. O livro começa justamente no trecho da trilha que comecei hoje, na Highway 58, na cidade de Tehachapi.

Pra chegar até ali a gente se programou de pegar o ônibus que passa na porta do hotel. Mas Tyler olhou o horário errado e quando chegamos no ponto pro ônibus de 12:15 descobrimos que esse é o horário da estrada pra cidade. No sentido que a gente queria ele já tinha passado há meia hora e o próximo só às duas.

Ed e eu botamos o dedão pra fora pedindo carona e em quinze minutos alguém parou pra nos levar. Com três espaços livres no carro, Lost Boy e Tyler ficaram pra trás, mas não demorou pra também conseguirem transporte.

A uma da tarde estávamos os cinco no local onde Cheryl começou a trilha.

Pode parecer descaso, mas o fato é que não senti nem um pouco o sofrimento que ela descreve. Minha mochila estava pesada, não tanto quanto a Besta, mas levava seis dias de comida. Havia pensado em mandar de volta umas coisas que não to usando (uma câmera, microfone, uma camiseta) e tinha desistido. De nós cinco, eu e Tyler somos os que estamos andando mais pesado. Talvez por isso os outros três tenham disparado na frente.

Mesmo com a subida considerável do início o dia foi tranquilo. Até demais. Não curto dias que não tenho muita coisa pra contar aqui. É bom quando é cheio de emoções, causos, situações inesperadas. Dias como hoje são monótonos.

Durante as quase seis horas de caminhada e 28 quilômetros quase nada aconteceu. O objetivo era chegar ao único lugar de água do dia, que a gente contava que ainda não havia secado (os comentários do app diziam que não) mas que a gente não sabia se tinha lugar pra acampar (os comentários do app não diziam).

Cheguei às 6:50 e Break Away já estava com sua barraca montada. Lost Boy estava ali, mas não iria ficar: queria chegar ao camping 6 quilômetros adiante. Tyler chegou logo depois de mim. Ed mais tarde.

Ainda em região de ventos fortes, montei minha barraca ao lado de um grande carvalho, um dos que dá nome ao riacho. Não sei se Cheryl ficou aqui. Se tivesse ficado tenho certeza que teria curtido.

  1. Ana Asseituno

    Não é descaso não, ela que foi mal preparada mesmo e depois escreveu um puta manual do que NÃO fazer.. Amando teus relatos!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.