Appalachian Trail S01E106

Dia 106, 29/07: Moose Mountain Shelter (1758.6) a Woods Road (1780.7)

Distância do dia: 22.1 milhas | 35,56 km

Distância total: 1780.7 + 8.8 milhas | 2879,92 km

Distância que falta: 409.1 milhas | 658,38 km

Dias que faltam: 25

Virou matemática. Agora é saber quantas milhas preciso andar por dia pra chegar ao final no dia estipulado. Hoje a média está em 16.83 milhas. Uma a menos que o dia que Wash Bear e eu tomamos a decisão de terminar no dia 23. Como sabemos que nossa média vai cair a partir dessa semana – nas White Mountains não devemos fazer mais que 15 milhas por dia – a ideia era mesmo apertar o passo.

Hoje a gente poderia ter ficado na Fire Wardens Cabin ou no Hexacuba Shelter, mas isso iria aumentar o precisaremos andar nos próximos dias. Por isso andamos o quanto pudemos. O dia foi difícil. Duas montanhas puxadas pra subir – a segunda, Mount Clube, particularmente complicada.

Tentamos chegar num acampamento mais ao norte, mas não rolou. Montamos as barracas – na verdade, eu montei a minha barraca e ele a rede dele – e acampamos à beira de uma estrada de terra.

Amanhã o dia vai ser menor, mas não menos complicado. Primeira montanha das Whites, quase 5000 pés de altitude, além do sobe e desce rotineiro.

Anúncios

Appalachian Trail S01E105

Dia 105, 28/07: Happy Hill Shelter (1741.8) a Moose Mountain Shelter (1758.6)

Distância do dia: 16.8 milhas | 27,03 km

Distância total: 1758.6 + 8.8 milhas | 2844,35 km

Distância que falta: 431.2 milhas | 693,94 km

Dias que faltam: 26

A sensação de que a trilha está chegando ao final é incrível. Hoje, cruzando a fronteira de Vermont e New Hampshire, fiquei pensando nos doze estados que já ficaram pra trás. No início da trilha 430 milhas parecia a eternidade. Hoje parece que o final está logo ali. É só andar mais essas 430 milhas…

O dia ia ser tranquilo, a gente sabia, mas queríamos chegar logo em Hanover. A cidade parecia ser bacana e no centro comunitário tinha banho e lavanderia. O que a gente não esperava era o tanto que Hanover, já em New Hampshire, e a vizinhança Norwich, ainda em Vermont eram amigáveis.

Nos primeiros 500 metros na estrada foram três Trail magics. Nas cidades uma lanchonete oferece sanduíche de graça. Na padaria, muffin. Na pizzaria, fatia de pizza. Wash Bear acabou dando entrevista pra duas estudantes. No centro comunitário, além do banho, tomadas pra carregar os eletrônicos e Wi-Fi. Acabei gravando mais um podcast e por isso saí tarde, já quase quatro. Faltam pouco mais de nove milhas e antes das sete cheguei no abrigo da noite. De novo, nada de acampar. Amanhã, pelo contrário, o dia vai ser longo e cansativo…

Appalachian Trail S01E104

Dia 104, 27/07: Winturri Shelter (1720.7) a Happy Hill Shelter (1741.8)

Distância do dia: 21.1 milhas | 33,95 km

Distância total: 1741.8 + 8.8 milhas | 2817,31 km

Distância que falta: 448 milhas | 720,98 km

Dias que faltam: 27

Hoje foi dia de decisão. Bati o martelo na volta pro Brasil. Liguei pra American Airlines e mudei a minha passagem. Chego em Belo Horizonte ainda em agosto. Isso porque a data pra terminar a trilha também está fechada: 23 de agosto.

Eu e Wash Bear terminamos no mesmo dia. A ideia é no dia seguinte ir a Bankgor, a cidade maiorzinha perto da trilha e de lá chegar a Portland, de onde pegamos o voo. Ele sai cedo, meu voo é mais no final do dia. Mas a decisão está tomada e de agora pra frente é tudo uma questão de me manter dentro da média.

Virou matemática. Hoje são 17.05 milhas por dia até o final. Mas sei que essa média não vai ser batida durante as White Mountains. Então é tentar diminuir até chegar lá, pra não ter que correr e fazer 30 milhas nos dias finais.

Por isso as 20 e poucas milhas do dia. Ganhar tempo aqui vai ser vantagem. O dia foi longo mas cheio de paradas. O tênis novo está me matando. Os dedos tem doído, o que não aconteceu nas outras vezes. Tenho massageado os pés com uma bola de tênis que achei na hiker box da Yellow Deli. E a mochila está pesada: muita comida…

Chegamos por volta das sete no abrigo, onde Summer Breeze e Senator já estavam. Bom papo e acabei ficando sozinho no shelter, com todo mundo acampando. Essa é outra coisa: tenho ficado cansado e se tem espaço no abrigo tenho preferido ficar por ali mesmo.

Amanhã promete. O dia não vai ser tão longo, mas deixo Vermont e entro em New Hampshire. Dois estados e pronto. 27 dias. Começou a contagem…

Appalachian Trail S01E103

Dia 103, 26/07: VT100, Killington, VT (1704.1) a Winturri Shelter (1720.7)

Distância do dia: 16,6 milhas | 27,71 km

Distância total: 1720.7 + 8.8 milhas | 2783,36 km

Distância que falta: 469.1 milhas | 754,94 km

Foi a das minhas melhores noites nos últimos tempos. Dormi tranquilo, numa cama de verdade, com banho tomado. O pessoal da Yellow Deli preparou café da manhã pra todo mundo que estava hospedado ali – deveriam ser umas 50 pessoas. A seita tem uma história com chá mate, e o que tinha no café da manhã vem da comunidade que eles tem em Londrina. Fiquei no café mesmo, que tomei com o pão que fazem ali. E tinha também ovos mexidos e um arroz integral. Foi ótimo.

Como o dia seria tranquilo – a conta agora é manter uma média de 17 milhas por dia pra terminar no prazo – fiquei ali depois do café ajudando o grupo. Fui lavar as panelas, Wash Bear ficou por conta de botar na lavadora os pratos e talheres. Uma hora de ajuda ali e pronto: nossa contribuição estava dada.

Pegamos o ônibus de retorno pra trilha às 9:15. Com sapatos novos – tanto eu quanto WB – e com a mochila pesada, sabia que o dia não seria dos mais fáceis. É sempre ruim usar os tênis pela.primeira vez na trilha. E sempre chato logo depois de encher a mochila de comida… Mas o dia foi mais cansativo que o esperado. Um sobe e desce danado, sem parar, pelos quase 28 km do dia. Fomos quase o tempo todo batendo papo.

Estou cansado do que venho comendo. Não suporto mais nada com amendoim. Então resolvi comprar só coisas que normalmente não compro. Tchau barras de proteína da Cliff. Tchau Snickers. Acabei comprando tortilas – que acho prático, mas pesado – e pepperoni. Comprei caramelos e Milky Way. Café solúvel com hazelnut. Biscoitos de proteína. Oreo sabor cheese cake… É preciso variar a dieta.

A única parte plana do dia foram as menos de duas milhas após um mirante onde paramos eu, Wash Bear, o Senator e a Sunshine. Boa vista, uns minutos de conversa e pronto.

Chegando no shelter, a surpresa: choro de bebê. Topei com a família que está fazendo a trilha com a filhinha de pouco mais de um ano.

Appalachian Trail S01E102

Dia 102, 25/07: Governor Clement Shelter (1690.2) a VT100, Killington, VT (1704.1)

Distância do dia: 13,9 milhas | 22,36 km

Distância total: 1704.1 + 8.8 milhas | 2756,64 km

Distância que falta: 485.7 milhas | 781,65 km

Já tem algumas semanas, vocês tem notado, que tenho andado com o Wash Bear. A gente vem se esbarrando desde a Virginia, mas nos últimos dias resolvemos que vamos caminhar juntos até o final. Temos o mesmo ritmo e ele precisa terminar antes do dia 25 de agosto. O objetivo é 23. E como temos feito o mesmo número de milhas por dia é a data que pretendo terminar também.

O que a gente tem combinado é encontrar no final do dia no shelter que a gente decidiu na manhã ou no dia interior. Normalmente eu acordo mais tarde, mas saio antes dele. A gente se encontra quase sempre no meio do caminho e a partir daí caminhamos conversando. Política, religião, cultura, turismo, química, biologia, qualquer assunto.

Eu acampei perto do shelter. Ele ficou lá. Pela manhã esperei por ele e fomos do conversando o dia todo. O percurso era curto, menos de14 milhas. Ele precisava passar em Killington pra pegar um pacote no correio. Eu tinha enviado meus novos tênis pra Rutland, 10 km depois.

Apesar de curto o percurso foi cansativo. Chegamos antes das duas em Killington. Dali pegamos o ônibus até Rutland. Estavamos os dois precisando de um banho – não lembro a última vez que tinham tomado um. Precisavamos também lavar as roupas. A opção mais lógica seria dividir um quarto de hotel por ali. Mas antes da gente tomar a decisão eu fiz uma proposta diferente: por que não ficar em um lugar barato e gastar o dinheiro do hotel num jantar que valesse a pena? O que a gente estava a fim de comer?

Foi assim que a gente chegou na Yellow Deli. Ela é a sede de um grupo chamado Twelve Tribes, uma seita cristã fundamentalista, que busca viver como os cristãos do século I. Acreditam na segunda vinda de Jesus – ou Yahshua, como eles se referem. O grupo surgiu nos anos 70 e mantém o restaurante – a tal Yellow Deli – em Rutland e outras cidades. Aqui também abrigam os caminhantes. O lugar é gratuito e aceita doação, em dinheiro ou trabalho.

O lugar é bacana. E a localização é incrível. Deixamos nossas mochilas em uma das beliches disponíveis e saímos pra comer algo que os dois estavam saudosos: comida japonesa. Dali pra supermercado, pra garantir a comida dos próximos dias e depois de um descanso, mais comida. Cervejas locais e pizza bem ao lado de onde estávamos hospedado. Ao final, o que gastamos de comida foi próximo do que cada um iria gastar de hospedagem. A estratégia, acho, valeu a pena.

Appalachian Trail S01E101

Dia 101, 24/07: Big Branch Shelter (1667.2) a Governor Clement Shelter (1690.2)

Distância do dia: 23 milhas | 37,01 km

Distância total: 1690.2 + 8.8 milhas | 2734,27 km

Distância que falta: 499.6 milhas | 804,02 km

Quem estava indo pro norte saiu antes dos que estavam indo pro sul. Todo mundo focado nas panquecas. Mas o dia amanheceu chovendo e eu resolvi tomar um café pra esquentar. Quando cheguei no lugar do Trail Magic Wash Bear estava lá, mas os caras estavam desmontando as coisas. “A gente vai pro Minerva Shelter. Mas pegue uma bebida. Precisa de mais alguma coisa? Papel higiênico, escova de dente, pasta dental?”. Sim, sim e sim…

Saí na frente e não vi mais Wash Bear durante o dia. “Tô cansado. Se por um acaso eu não conseguir chegar no shelter a gente se encontra amanhã na Yellow Deli”, eu disse.

Mas o dia apesar de longo, chuvoso e frio foi bom. As subidas não eram tão fortes, a lama ainda não era muita e quando vi já era duas da tarde e faltavam só 8 milhas pra chegar. Nem vi se os Trail Angels estavam mesmo ou não no Minerva, que tinha ficado pra trás.

O marco do dia foi a marca de 500 milhas pro termino. Um mês. No início, 500 milhas foi o que precisei andar pra chegar em Damascus. Parecia uma eternidade. Agora, como tenho falado por aqui, já consigo sentir o cheiro do final…

Cheguei no shelter que a gente tinha combinando antes das seis. Molhado e com frio. As pessoas que estavam no abrigo já estavam dentro de seus sacos de dormir, se esquentando do frio. Achei melhor montar a barraca.

O Senator chegou quando eu preparava meu jantar. Ele é outro que sempre encontro. Deu uma olhada no lugar, decidindo se ficava por ali ou seguia. Acabou ficando. Wash Bear foi chegar lá pelas sete. “Passei em todos os shelters pra ver se você tinha parado antes. Que bom que chegou aqui”.

Pelo ritmo que venho andando, talvez não faça mais nenhum dia longo como esse. A ideia agora é reduzir pra no máximo 20 milhas por dia. Primeiro porque se mantiver uma média de 17 termino no dia 23 de agosto. E segundo porque com Vermont ficando pra trás – devo deixar o estado ainda essa semana – o que vem pela frente é osso. New Hampshire e Maine, tô chegando…

Appalachian Trail S01E100

Dia 100, 23/07: Bromley Shelter (1652.7) a Big Branch Shelter (1667.2)

Distância do dia: 14,5 milhas | 23,33 km

Distância total: 1667.2 + 8.8 milhas | 2697,26 km

Distância que falta: 522.6 milhas | 841,04 km

Chegou o momento na trilha onde northbounders – os caminhantes que estão indo do sul pro norte, como eu – e os southbounders – aqueles que estão indo do norte por sul – estão se encontrando. Todos dias cruzo gente que começou em Katahdin. Normalmente é só um oi, boa caminhada, mas se temos algum tempo – à noite, no abrigo, por exemplo – começa o interrogatório. A gente querendo saber sobre as White Mountains, as 100 mile wilderness, como é chegar em Katahdin. Eles querendo saber sobre as pedras da Pennsylvania, se tem água no caminho, como está a lama em Vermont. Além dos hikers da Appalachian Trail ainda tem os que estão fazendo a Long Trail…O resultado é que as noites tem sido mais animadas. Muita conversa, mais gente. Deixei definitivamente a bolha pra trás: os northbounders que tenho encontrado começaram no final de março ou abril. Mas agora os southbounders estão aqui. Começou a bolha norte/sul…

São cem dias de trilha hoje. Minha dúvida tem sido se adianto minha passagem e volto pro Brasil antes do combinado. Pelas minhas contas da pra terminar ali por volta do dia 25, o que significa que da pra voltar pro Brasil ainda em agosto. O problema é que não tenho ideia de como vai ser final, mesmo depois das conversas com os southbounders… As White Mountains, que chego em uma semana, são difíceis. As 100 mile wilderness, no Maine, também. Mas preciso tomar a decisão nos próximos dias.

O dia relax pra comemorar o centésimo dia de caminhada. Caminho gostoso, sem muito stress. Trecho pequeno, de menos de 15 milhas. Por causa disso fui chegar no shelter que iria ficar pouco depois das duas. Eu tinha levado uma cerveja do Trail Magic da noite anterior. Fiz uns sanduíches de pão e pepperoni e fiquei sozinho sentado ali, vendo o rio.

Quando Wash Bear chegou, umas duas horas depois, tomamos um vinho que a gente tava levando. Só os dois, batendo papo. Até começar a chegar o resto o resto da turma. Southbounders dizendo de um Trail Magic com hambúrguer e cerveja a pouco mais de uma milha dali. Os northbounders na maioria passavam batido, pois já tinha ouvido falar do Trail Magic é queriam chegar até lá. No início da noite o abrigo estava cheio. Os últimos southbounders a chegar garantiram que o Trail Magic estaria lá pela manhã. “Os caras falaram que iriam fazer panquecas a partir das sete”, disseram. Vou dormir feliz.