Appalachian Trail S01E71

Dia 71, 24/06: Boilling Springs, PA (1121.2) a The Doyle Hotel, Duncannon, PA (1147.2)

Distância do dia:  26 milhas | 41,84 km

Distância total: 1147.2 + 8.8 milhas | 1860,40 km

Distância que falta: 1042.6 milhas | 1677,90 km

Quando mudei pra Austrália uma das coisas que me chamou atenção foi o nome dos bares. Quarrymans Hotel, Empire Hotel, Aurora Hotel… Todos eram parecidos: um bar montado em um sobrado, quase sempre de esquina, com meia dúzia de assentos no balcão, algumas poucas mesas e quartos pra alugar no segundo andar. Ficava encafifado com aquilo até alguém me contar que a licença pra vender álcool era mais cara que a licença para se abrir um hotel. E hotéis podiam ter bares… O que o povo faz? Pede uma licença pra hotel e monta um bar com meia dúzia de quartos pra alugar, que nunca são alugados. A não ser quando alguém bebe demais e decide passar a noite por lá.

O The Doyle Hotel não é em Sydney. É em Duncannon, Pennsylvania. Não sei como é a legislação por aqui, mas ele poderia estar em qualquer esquina de lá. O Hotel é um bar de esquina com 8 cadeiras no balcão e três mesas e tem pouco mais de uma dúzia de quartos nos andares superiores. É velho, mal cuidado, os banheiros são compartilhados mas é melhor que muito hostel que fiquei. Os donos, Pat e Vicky, já estão na casa dos 70 e tentam manter o lugar no espírito da trilha: camarada, relaxado, com tarifas (e aqui também cervejas) baratas. Eu gosto de locais assim. Disse isso pra Vicky quando ela fazia o meu registro. “Espere até você ver o quarto”, ela disse.

Saí da afetada Boilling Springs às 7 esperando o pior. Pedras, aposto que o trecho vai ser cheio de pedras, pensei. Me enganei. Elas só apareceram nos 10 km finais. O resto me lembrou o Caminho da Fé, em São Paulo. Fazendas, plantações de milho, estradas, longas retas… Boa parte da manhã foi até chata. O que salvou foram as framboesas e amoras do caminho. Nunca comi tanto. Lá pelas 10 da manhã, já farto, me prometi que só iria comer outra fruta se aparecesse um mirtilo.

Parei em uma fazenda da Appalachian Trail Conservancy pra almoçar e secar minha barraca, molhada da chuva da noite anterior. Conversei com um ranger que me contou que o sul da Pennsylvania é realmente tranquilo. “Você vai encontrar algumas rochas depois do próximo abrigo, mas nada demais. A coisa fica complicada mesmo perto de Hamburg. Lembre-se: o sul da Pennsylvania é fácil…”, ele me disse.

Se o que eu encontrei chegando em Duncannon é fácil, não quero ver o que me aguarda. Eu andava o tempo todo focado na trilha, onde iria colocar os pés. Pedras de todos os tipos, formatos e tamanhos. Não tinha a mínima chance de pisar na terra. Pedra, pedra, pedra. E essa, ele disse, é a parte fácil.

Amanhã, decidi, defico aqui no The Doyle Hotel. De pernas pro ar, sem andar, curtindo a decadência do lugar e me preparando pro que vem por aí…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s