Appalachian Trail S01E42

Dia 42, 26/05: VA 623, Saint Luke Hostel (574.3) a norte de Helveys Mill Sherter (593.3)

Distância do dia: 19 milhas |  30,58 km

Distância total: 612.3 milhas | 985,40 km

O papo rendeu ontem no hostel. Já na minha roupa habitual, ficamos um bom tempo conversando. O Bill cozinhou o melhor jantar​ da trilha até agora. Comida de verdade, do jeito que gosto. Fez um frango assado na gordura de bacon, purê de batatas e legumes cozidos. Confort food. Simples e gostoso. Com uma cerveja então…

Pela manhã, waffles e bacon, que dei bobeira e acabou antes de eu chegar na cozinha. Compensei com um abacate que estava ali e eu já estava namorando. Acho que saí no lucro…

Bill me deixou na trilha já era quase nove e meia. Eu tinha um objetivo: chegar a Bland, a 25 km dali, antes das quatro. Precisava pegar uma caixa no correio. Saí andando mais depressa que o usual. Duas da tarde eu estava chegando na estrada que corta a trilha. O correio fica a mais 5 km dali, fora da trilha. Ou pagava 10 dólares pro cara do armazém me levar e trazer de volta ou iria a pé.

Foi o que fiz. E foi a melhor opção. Cheguei no correio às três, peguei minha caixa – nota: só mandei uma caixa com comida pra três dias porque alguém tinha me dito que não existia nada perto. Mentira. O próprio armazém tem alguns itens básicos, existe um bom supermercado na cidade e Perisburgh, a próxima cidade, está a pouco mais de 35 milhas daqui. A caixa foi desnecessária… – e sentei no banco em frente à agência pra abrir e colocar as coisas, que eu nem lembrava mais o que era, na mochila.

Aí chega o Storyteller. E com esse nome, meu amigo, senta que lá vem história. Pra início de conversa ele fez a trilha de norte a sul em 1972. Eu tinha um ano. Hoje, além de cuidar da sua fazenda, cuida também da manutenção de boa parte da trilha. Ficamos mais de meia hora batendo papo. E como bom hillbilly, Storyteller me contou boas histórias. Como a do dia, já escurecendo, ele encontrou com uma hiker baixinha, miúda, e que vinha carregando uma mochila enorme. Do lado de fora da mocha quatro garrafas de vinho… “A mochila deveria estar pesando mais que o peso dela”, ele contava. E ele perguntou o porquê dos vinhos. A moça entrou numa loja e o vendedor disse: “pega o que você precisar que a gente tá fechando”. Ela olhou as horas e era pouco mais de três da tarde. Ela achou estranho a loja fechar naquele horário. O vendedor repetiu e aí caiu a ficha: a loja estava fechando pra sempre, saíndo do negócio. “Já imaginou falar isso pra um Hiker?”, comentou o Storyteller. E continuou: “ela pegou o que pode de comida pro resto da trilha. E quando a mochila já estava cheia ela viu os vinhos… não teve dúvida: colocou as garrafas do lado de fora da mochila e iria levar até o próximo abrigo, onde seus amigos estariam. Mas já estava escurecendo, e aquela deveria estar realmente pesada. Ela não estava conseguindo andar. Consegui ajudá-la por uma milha, mas ela ainda tinha umas cinco até o shelter. Deve ter chegado lá bem tarde. E acordado todo mundo. E aposto que ninguém​ reclamou…”

Contou também do dia que precisou ir prender a sinalização que mostrava o caminho para um outro abrigo, que ficava um pouco afastado da trilha. Como a estaca se soltou ficou no mistério por um bom tempo, até o dia que um hiker contou o que aconteceu. Tinha esse cara que gostava de duas coisas: caminhar até tarde e sempre ouvindo música​, sem fones de ouvido. E chegava nos abrigo e acordava todo mundo com o som saíndo do alto falante. “Como ele caminhava à noite, o pessoal foi lá, arrancou a placa, cobriu o buraco com folhas e o chato passou direto, até o próximo shelter. Na manhã seguinte eles foram lá e colocaram a placa de volta. Por isso ela está solta…”

Ótimas histórias. Fiquei até com vontade em passar a noite em Bland, mas na cidade só tem um hotel, caro. O hostel mais próximo fica afastado do centro… Passei no supermercado, comprei um sanduíche, que comi na mesa de piquenique da praça da cidade e voltei os 5 km caminhando. Depois foram só mais uns 4 até chegar onde estou agora, já noite, com a lanterna na cabeça acessa e ouvindo música no meu celular sem fones de ouvido. Mas estou acampado sozinho, sem ninguém por perto pra se incomodar…

Nota final: meu Spot morreu. Parou de funcionar. Já troquei de pilha e nada. Já tentei alimentação externa e nada. Então se você estiver acompanhando pela página do Spot foi ficar offline por um tempo…😑

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s