Appalachian Trail S01E04

Dia 04, 18/04: Whitley Gap (38.4) a Rocky Mountain (54.3). Distância oficial: 15.9 milhas. Marcação minha: 23,2 km, 42.524 passos, 124 andares. Distâncias total: 96.5 km.

Pelos minha medição ainda faltam uns metros pra eu chegar em 100km. Pela marcação oficial já são 54.3 milhas na AT e mais 8.8 da trilha  de aproximação, o dá 100 km em alguns passos montanha abaixo. Ninguém aqui tá nem aí pra marca de 100km. Mas pra de 100 milhas fizeram um marco: uns gravetos no chão com o número cem. Devo passar por lá em três dias. Se não tiver mais dias como hoje…

Não que tenha sido ruim. O percurso era até leve  considerando os primeiros dias. Nenhuma subida braba, a não ser a última. Quando vi o mapa até considerei ficar em Unicoi Gap, a base, e pegar uma carona pra passar na noite num albergue. Mas previsto é fazer isso amanhã, e segui os meus planos.

O que deixou o dia mais complicado foi a chuva. Começou à noite, quando eu brigava com a corda pra dependurar a comida (update: hoje foram só 3 tentativas antes de acertar!). E a chuva continuou a noite inteira. Trovões, relâmpagos, chuva caindo e eu apaguei. Quando acordei pensei que já fosse dia, mas era meia noite… Botei a mão do lado e senti úmido. Voltei a dormir e acordei às 6, como tenho feito. Só aí fui ver que tinha entrado água na barraca. Por sorte mais no lado dos pés, porque do outro tinha todas as coisas que não poderiam molhar mesmo. Mas minha roupa de caminhada e mochila estavam ensopadas. Seco mesmo só a blusa de chuva, que ficou do lado de fora e como a chuva parou na madrugada ela secou… 

Foi bom pra eu ficar atento na montagem da barraca. É simples, mas um cabo que deixa de puxar da nisso..

A chuva ia e vinha o dia todo. Ainda na manhã passei pelo Tom. Ele era o cara que tinha começado com a mochila com 45 pounds. Tinha encontrado com ele no albuergue, quando comecei. Ele já tinha andado 21 milhas. Voltou pro albergue, mandou 12 pounds de treco pra casa e continuou andando. Nesses quatro dias andou mais 25 milhas, metade do que eu fiz. Ele diz que tá tomando o tempo neceddsrio, e curtindo cada momento da caminhada. Tem muita gente como ele na trilha: idosos, obesos, gente que não faz atividade física desde a adolescência. Mas a trilha exerce esse fascínio. A Appalachian Trail ainda mais, por cortar campos importantes da história americana. Ele vão no ritmo deles, um passo de cada vez, sem muita preocupação de quando terminar. Muitos, mesmo nestas condições, chegam ao final. Outros param pelo caminho. Mas mesmo estes terminam com uma história para se contar o resto de suas vidas.

Acordei às 6 é modo de falar. Tenho acordado a noite inteira, várias vezes. Barulhos estranhos me fazem saltar. Na maioria das vezes é rato ou esquilo. Outro problema é isolante térmico. É como um balão: você enche, fecha e dorme por cima dele com o saco de dormir. É confortável, mas faz um barulho danado. A cada virada eu acordo assustado. Acho que é hábito. Mais uns dias e passo a dormir direto.

Anúncios

2 comentários sobre “Appalachian Trail S01E04

  1. Parabéns pela marca de 100km!
    Tô sabendo que os estado-unidenses só ligam para milhas… Vc poderia ao completar 1.000 km fazer em gravetos a marca!
    Abraços
    Gus

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s