Appalachian Trail S01E02

Dia 02, 16/04: Hawk Mountain Campsite (8.1) a Lance Creek (24.3). Distância oficial: 16.9 milhas. Medição minha: 25 km, 42.449 passos, 228 andares. Distância total: 52,1 km

Sempre fui um cara urbano. Gosto de cidades, gente, confusão. Por isso saí de Divinópolis da adolescência: já não me cabia na cidade. Sempre fui da noite, de acordar tarde e ir dormir mais tarde ainda. Por causa disso nunca acampei. Não era o meu ambiente. Achava monótono.

Quando resolvi fazer a AT dormi um dia na barraca, montada no quintal do sítio da minha irmã, perto de Ibitipoca. Lis dormiu comigo, pelo menos parteda noite. Vomitou na madrugada e até a barraca cheira a leite azedo.

Meu primeiro acampamento MESMO foi ontem, na minha primeira noite de trilha. A AT tem uma característica que se você quiser fazer a trilha toda, de cabo a rabo, sem levar barraca é possível. São dezenas de abrigos pelo caminho, a uma distância média se 10km entre eles. Cabem de 4 a 40 pessoas, dependendo de onde fica. E é na base de quem chegar primeiro pega o lugar. Não era esse o meu caso: eu quero acampar sempre que possível.

Passei a noite no Hawk Mountain Campsite. São 30 espaços para barracas. Fiquei mais pro início, perto da saída. Mas a água era no final, e o ir e voltar era penoso. Quando cheguei já me preparei: enchi duas garrafas com água filtrada e o reservatório de 2 litros de água pra filtrar. Assim não precisaria voltar pela manhã.

Uma hora. É o tempo que preciso pela manhã pra desmontar acampamento. A rotina: esvaziar o isolante térmico, colocar no saco. Enviar o saco de dormir no saco. O saco de dormir vai primeiro na mochila: me dá um conforto na coluna por ser macio e fica mais protegido de chuva. Buscar a comida e preparar o café (hoje foi oatmeal, aquele mingau deles. Amanhã vai ser granola). A comida vai depois na mochila, com o isolante do lado. Troco de roupa e o saco estanque com minha blusa e roupa de dormir, que tinha servido de travesseiro na noite, vai na mochila depois. Por fim entram o fogareiro e os eletrônicos. Desmonto a barraca e ela vai do lado de fora, na parte de trás. De um lado vai o filtro e uma garrafa de água. Do outro a corda pra pendurar a comida e a outra garrafa. No topo minha lanterna, papel higiênico e uma capa de chuva. E nos bolsos laterais meu almoço (duas barras de cereal) no lado esquerdo e o telefone e passaporte no lado direito. Tudo tem seu saco isolante e seu lugar. E vai ser assim até o final: do contrário vou acabar esquecendo alguma coisa pelo caminho.

A caminhada foi puxada. Pelo menos duas montanhas – Sassafras e Big Cedar – de tirar do sério. Entre elas mais duas, menos puxadas. Saí cedo – pouco depois das 7h – e cheguei cedo – por volta de 4h da tarde – mas mesmo que desse conta (confesso: não daria) não poderia andar mais. Lance Creek, onde estou, é o último local pra dormir sem a obrigatoriedade de um bear canister (um recipiente de plástico pra colocar a comida e o urso não conseguir pegar) das próximas milhas. Minha comida já tá ali dependura e amanhã é pegar, botar na mochila e cruzar até o próximo camping.

Anúncios

4 comentários sobre “Appalachian Trail S01E02

  1. Dizem que quem dá o primeiro passo já está a meio caminho da chegada, mas em se tratando de quase 3.500 km, penso que não é bem assim. Acompanhando sua caminhada na AT, me vem à memória todas as vezes que não consegui dar o primeiro passo, todas as vezes em que a inércia foi mais forte que a vontade.Então, parabéns pra vc, que conseguiu da o primeiro passo ( e o segundo, e o terceiro, etc….).

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s